O medo, o tempo e as minhocas

Sabe quando o medo toma conta da gente? Algumas pessoas são impulsionadas, this is Sparta god damn!, outras se petrificam, paralisam. Sou do time da segunda opção.

O tempo corre mais devagar e quando piscamos já acabou. Nossos pensamentos demoram mais pra correr nas sinapses cerebrais e se fosse apenas pela lei dos mais fortes já teríamos sido devorados.

Só que temos uma vantagem: como pensadores, regurgitamos cada situação de medo e mastigamos novamente. Duas, vinte vezes. Seria nojento se não fosse paranóico. O bom disso é que pensamos, analisamos, desconstruímos, e finalmente agimos. Nem sempre dá certo, mas sempre temos tempo para mastigar de novo. Isso deve ter nos salvado de muitos leões por aí.

Pessoas assim estão dispostas a ter seu tempo, mas isso não significa que seja proveitoso. Minhocas aparecem e pensamos torto. Aí está o problema meus caros. Nunca deixem tempo para pensarmos besteira, porque sim, nós teremos certeza!

O medo faz isso. Nunca deixem o medo e o tempo se encontrarem. Não sobra nada depois disso…

Anúncios

Sobre Andreza

Jornalista, tradutora, escritora, sonhadora, dona de casa sem uma casa, irmã caçula e péssima em encontrar uma harmonia com teclados de configurações diferentes. Gosta de ler em demasia, mas a miopia não ajuda. Gosta de escrever com moderação, as palavras precisam ser digeridas.
Esse post foi publicado em crônica, Desabafo e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s